Environment Study: Ancient Temple

Steps-sceneryAgora sim, começando a postas os estudos de cenário. Serão 4 no total.

Este foi o primeiro que fiz, e ao contrário do que esperava, foi o mais apreciado. Não desenhei; comecei com uma base no SketchUp, porque não sabia exatamente o que fazer. Procurando na 3D Warehouse, achei um modelo de uma grande sala de estar com dois ambientes (superior e inferior), e daí me veio a ideia inicial de dar dois pavimentos ao meu futuro cenário. Pensando mais a respeito, e pesquisando mais, acabei me decidindo por fazer um templo; gosto de arte e arquitetura da Antiguidade, com  suas construções monumentais, e este foi o motto aqui.

Então, utilizei várias referências para dar a ‘cara’ desejada ao templo: a primeira foi o palácio de Cnossos, por sua alternância entre as cores aplicadas às colunas e aquela natural das rochas calcárias, num tom ocre, assim como seus murais com temas marinhos. Aliás, a pintura na parede do lado superior direito foi toda baseada nas Damas de Azul, e a deusa na fonte, à qual pertence o templo, seria uma ‘versão sereia’ da deusa das serpentes minóica.

De Roma, veio a ideia do pátio central, com uma fonte, além do uso de arcos e a piscina interna, sob a cúpula. Os vitrais são góticos, o que seria anacrônico, mas tentei encaixá-los da forma mais natural possível ao conjunto. Aliás, a cúpula, assim como os ornamentos pontudos, vieram diretamente de Francisco Brennand, cujo atelier me impressionou vivamente. Como referência para as cores, assim como o mood (um entardecer), utilizei uma imagem da linda Santorini.

Como se trata de um estudo, pedi ao meu ex-chefinho Rael Lyra que atuasse como meu ‘diretor de arte’. Por sua orientação, decidi a posição de cenário, esquemática e simples, para que um personagem pudesse ser visto andando sobre ele. Também fui eliminando ‘excrescências’ (como os arcos à esquerda), com o mesmo intuito de simplificar e deixar visível um personagem que se movimentasse. Para a pintura, utilizei o método do Arnaud Pheu, que consiste em colorir a imagem num tamanho reduzido, preenchendo o essencial, e em seguida alargando-a para o tamanho original a fim de detalhar. Trabalhar num tamanho reduzido auxilia na visão do todo, o que facilita preencher cada área de forma correta. Foi uma descoberta e tanto!

Depois, aplicar texturas, colocar luz… acho que levei uma semana ou mais nesse cenário, mas o resultado me foi bastante satisfatório, mais do que qualquer outro. O resultado final pode ser visto na minha galeria no Behance.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s